Acupuntura Veterinária

Atualmente, uma das terapias complementares mais testadas e avaliadas é a acupuntura. Surgiu na chamada Nova Idade da Pedra (10.000 a 3.000 AC.), onde pedras redondas aquecidas eram comprimidas à pontos do corpo. Porém, na última década, o uso de agulhas para tratamento de enfermidades na área veterinária vem crescendo e se tornando mais uma alternativa para a cura e prevenção de doenças em animais de grande e pequeno porte.

Na China, praticavam a acupuntura em seus animais, inicialmente em cavalos, muito importantes para a agricultura e para guerra, posteriormente em outros animais e no próprio homem.

Derivada dos radicais latinos acus e pungere, que significam agulha e puncionar, respectivamente, a acupuntura visa à terapia e cura das enfermidades pela aplicação de estímulos através da pele, com inserção de agulhas em pontos específicos chamados acupontos. Entretanto, além do sentido restrito de agulhamento, a palavra acupuntura pode ter sentido mais amplo: o do estímulo do acuponto segundo as várias técnicas disponíveis (acupressão, moxabustão, eletroacupuntura e outras).

Nos animais, definir o quão doloroso é um estímulo ou uma lesão tecidual torna-se extremamente difícil para a avaliação do profissional, uma vez que os pacientes respondem de diversas formas, e com intensidades variadas, associado a isso, torna-se óbvio sua incapacidade de comunicação. As dores agudas e crônicas são habitualmente controladas com intervenções farmacológicas, entretanto, sabe-se que muitos são efeitos deletérios, como por exemplo, a necessidade de doses cada vez maiores para promover analgesia, desta forma, métodos complementares estão sendo cada vez mais utilizados.

A Acupuntura age no sistema nervoso central, atingindo os sistemas muscoesquelético, hormonal e cardiovascular. Através de neuroreceptores na pele, ela promove alívio da dor por liberar endorfinas e neuro-hormônios, além de aumentar a circulação do corpo, estimular os nervos, aliviar espasmos musculares, estimular o sistema imunológico do paciente e muitos outros efeitos benéficos, sem efeitos colaterais e nem dor!
As indicações são muitas, algumas delas seguem abaixo:
– Problemas muscoesqueléticos: artrites, artroses, tendinite, displasia coxo-femoral, traumas, paralisias, paraplegias;
– Distúrbios dermatológicos;
– Distúrbios neurológicos: convulsões, epilepsia, AVC, sequelas decorrentes de cinomose;
– Distúrbios cardiovasculares: insuficiência cardíaca, hipertensão, arritmias;
– Problemas gastrointestinais: vômitos, diarréias, gastrite, úlcera gástrica;
– Problemas respiratórios: pneumonias, tosse, asma;
– Alterações de comportamento;
– Distúrbios hormonais e reprodutivos: adrenais, tireóide, infertilidade, piometra;
– Desordens imunológicas;
– Distúrbios urinários: insuficiência renal, cistite;
– Recuperação no pós-cirúrgico, inflamações e infecções em geral.

De acordo com a medicina oriental, base da acupuntura, a doença é tratada como um desequilíbrio da energia no corpo. Para a cura do animal, é necessário corrigir o fluxo desta energia, e assim, retornar ao equilíbrio dinâmico do corpo.

Danyelle Pantaleão Martins
Acupuntura Veterinária
CRMV-SC 5153
(48) 9609 2094
danyvetfln.blogspot.com.br
Atendimento à domicílio
Florianópolis e Região

Este slideshow necessita de JavaScript.

Anúncios